Jorge Viana quer ampliação de banda larga no Acre

E-mail Imprimir PDF

Senador diz que a questão é estratégica para o futuro do país, lembrando que o Brasil está atrasado na implantação cobertura de 3G. Só 10% dos municípios têm acesso aos serviços de alta velocidade da internet

O senador Jorge Viana (PT-AC), relator da política pública de expansão da banda larga, definida pela Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado para ser avaliada ao longo de 2017, defendeu nesta terça-feira, durante audiência da CCCT, a ampliação da cobertura de 3G, lamentando que apenas 10% dos municípios brasileiros têm banda larga. “Queremos saber o que precisa ser feito”, questionou. “A telefonia móvel e internet no Acre não é universalizada, custa caro e não tem qualidade”.

Ao lado do deputado federal Raimundo Angelim (PT-AC), Viana ouviu do representante da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Igor de Freitas, que a falta de recursos para universalizar o serviço de banda larga no país levou à redefinição de critérios e de prioridades. “A Anatel tem procurado orientar o uso eficiente e efetivo dos recursos”, disse. “Quando a gente tem recursos escassos, precisa olhar de forma objetiva e definir critérios que possam orientar investimentos para atender o menor IDH, menor renda e mais gente possível”.

Até o fim do ano, Viana deve apresentar relatório com propostas para a melhora da legislação do setor. Além do conselheiro da Anatel, participaram o diretor do Departamento de Banda Larga do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Artur Coimbra, o diretor da Cisco Systems no Brasil, Giuseppe Marrara; o advogado e pesquisador do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Rafael Zanatta; e o secretário de Educação da Bahia, Walter Pinheiro.

Walter Pinheiro, senador afastado para ocupar o cargo de secretário de Educação da Bahia, afirmou que o país tem infraestrutura para levar banda larga a todos os recantos. O que falta, na visão dele, é regulamentação e implantação das políticas públicas. “As empresas só botam banda larga no lugar onde elas têm retorno. Isso é natural. Então, portanto, cabe ao Estado criar as regras e as condições para impor inclusive esse nível de condição. Que o Estado cumpra o seu papel regulador e não queira substituir as empresas”, disse.

img270617

 

Mais Notícias

Um encontro para pensar Rio Branco e o Acre

Dando sequência a uma séria de conversas e visitas que tem feito durante o recesso parlamentar, o se...

Movimentos sociais anunciaram que estarão em Porto Alegre durante o julgamento do ex-presidente Lula

Diversos movimentos sociais anunciaram que estarão em Porto Alegre durante o julgamento do ex-presid...

Jorge Viana rechaça pressão pelo fim da neutralidade na internet

Relator da política de banda larga, senador alerta que mudança adotada pelos Estados Unidos vai prej...

Jorge Viana quer voos extras para o Acre

Da tribuna do Senado, parlamentar pede às empresas aéreas que destinem mais passagens e linhas aérea...

Jorge Viana terá Nazareth Araújo como primeira suplente na candidatura para o Senado

Durante o lançamento da chapa majoritária da Frente Popular do Acre realizado no auditório da Biblio...

A Globo, do outro lado do paraíso

Chamada por uma parte da sociedade brasileira de “golpista”, por outra parte de “comunista”, o momen...

Jorge Viana participa da Conferência do Clima e teme retrocessos ambientais no Brasil

Presidente da Comissão de Mudanças Climáticas do Congresso Nacional, parlamentar acreano lidera dele...

Solidário com prefeito, Jorge Viana critica ambiente de intolerância

  Da tribuna do Senado, parlamentar lamenta ação espetaculosa e constrangimento desnecessário ...

Nota do Senador Jorge Viana

Sobre a operação deflagrada nesta segunda-feira por órgãos de controle, quero reiterar minha inteira...

Jorge Viana: “Não dá para conviver com a pobreza numa das mais ricas regiões do mundo que é Amazônia

O senador Jorge Viana (PT) esteve no Fórum dos Governadores da Amazônia Legal, nesta quinta, 26, e p...