Petistas dizem que discurso de Dilma foi forte e apostam em reversão de votos

E-mail Imprimir PDF

Senadores e deputados petistas falaram que a presidente afastada Dilma Rousseff fez um discurso forte, "falando com a alma", e que deverá reverter votos capazes de conter seu impeachment.

— Foi um discurso forte, eivado por três fatores: ela falou com a alma, colocou a questão democrática acima de seu mandato, e com muito conteúdo desmontou o discurso dos opositores de que cometeu crime — disse o deputado José Guimarães (PT-CE), que foi líder do governo Dilma na Câmara.

Guimarães disse que alguns senadores estão procurando os petistas para avisar que estão reavaliando seus votos. Citou o ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTC-AL), que nas duas votações anteriores do processo votou a favor do afastamento de Dilma. Collor não declara seu voto.

O senador Jorge Viana (PT-AC) afirmou que aqueles que aguardavam o discurso de Dilma para se decidirem têm argumentos concretos para impedir o afastamento da petista.

— Quem queria elementos para firmar seu juízo, tem todos eles para definir seu voto — disse Viana.

Segundo Viana, Dilma defendeu também a democracia no país. Em reação à declaração do senador tucano Cássio Cunha Lima (PB), que afirmou que, ao se referir ao processo de impeachment como golpe, Dilma cometeu mais um crime de responsabilidade, Viana afirmou que a oposição "tem medo" da palavra golpe.

— A presidente foi respeitosa com sua história, com o Senado, mas essencialmente com a democracia e o povo brasileiro. E tecnicamente deixou bem claro que não cometeu crime de responsabilidade e trouxe os argumentos para que qualquer senador ou senadora, que não queria cometer esse atentado à democracia brasileira, votar contra esse injusto processo de impeachment — disse o senador acrescentando:

— A oposição tem medo da palavra golpe. Mas a imprensa nacional e internacional, o próprio editorial do Le Monde deixa muito claro: é golpe. A nossa oposição está sendo desleal com a Constituição e isso é lamentável. Tivemos em 64 um golpe do qual depois o Brasil se envergonhou. Diziam que era para atender aos reclames da sociedade. Hoje dizem que a sociedade clama pela saída da presidente. Da mesma maneira dizemos: é um golpe, mas agora um golpe parlamentar.

Aliada de Dilma, a senadora Fátima Bezerra (PT-RN) disse que "vários" senadores não têm moral para julgar a presidente afastada por serem acusados em processos de corrupção. Ela não quis citar nomes.

— Vários integrantes deste parlamento enfrentam processos e não têm moral e ética para cassar uma presidente cuja biografia é pautada pela integridade — disse Fátima, à saída do plenário do Senado, onde Dilma é interrogada.

A senadora petista elogiou a fala inicial de Dilma, disse que o discurso vai ficar para a história e correspondeu à expectativa dos aliados. Ela disse que chorou várias vezes enquanto a presidente afastada apresentava sua defesa.

— Eu me emocionei no discurso dela. Mas o que mais me entristece não é só a questão de Dilma por Dilma, mas o simbolismo que isso tem. A importância da democracia e da soberania popular. O voto é sagrado. Não aceitaria que quem não ganhou pela via democrática busque atalhos para chegar no poder — afirmou Fátima.

 

Mais Notícias

Nota de pesar

O professor Marco Aurélio era um intelectual e militante apaixonado pela política, um perseverante s...

Jorge Viana participa de encontro e se diz otimista com política ambiental no Acre

Senador participou da avaliação do programa REDD no Acre e defendeu inspiração nos povos indígenas p...

Jorge Viana lamenta aprovação da reforma trabalhista

Senador denunciou retrocesso imposto pelo trabalho intermitente, proposto pelo governo na proposta q...

Jorge Viana critica reforma trabalhista

Senador chama proposta de “Frankenstein” e aponta que Temer não tem condições de levar o país adiant...

Jorge Viana alerta para tensão em Xapuri

Senador denuncia ameaças a posseiros na reserva extrativista Chico Mendes, lembrando a morte do ambi...

Jorge Viana apresenta emendas na LDO para garantir manutenção das BRs 317 e 364

O senador Jorge Viana (PT-AC) apresentou várias emendas ao projeto de Lei de Diretrizes Orçamentária...

Bancada acreana denuncia tentativa de garimpo no Juruá

Durante audiência com senadores, deputados e vereadores de Cruzeiro do Sul, ministro das Minas e Ene...

Jorge Viana eleito para Vice-Presidência da Comissão de Orçamento

Parlamentar acreano foi indicado pela bancada do PT e definido como relator setorial para Ciência e ...

Jorge Viana quer ampliação de banda larga no Acre

Senador diz que a questão é estratégica para o futuro do país, lembrando que o Brasil está atrasado ...

Jorge Viana garante empenho de R$ 4,4 milhões de emendas para governo e prefeituras

Recursos atenderão dez prefeituras, comandadas por diferentes partidos, inclusive de oposição, além ...